Devo mesmo contratar alguém para fazer minhas redes sociais? | Assessoria elo.com

Devo mesmo contratar alguém para fazer minhas redes sociais?

Por Eduardo Valadares

A explosão das redes sociais na última década mudou a forma das pessoas se relacionarem no universo online. Não apenas a maneira como se relacionam umas com as outras, mas também, a forma como se relacionam com as empresas, as marcas e as instituições.

Os multibilionários sites de rede social, como Facebook, Twitter, Instagram, entre outros, criaram a cultura no mundo empresarial da geração de conteúdo. Isso transformou a direção do marketing global, do outbound (saída) para o Inbound (entrada). Esses termos se referem à forma como o consumidor conhece a sua marca, seja você chegando até ele (outbound) ou ele chegando até você (inbound). Ir atrás do consumidor hoje, oferecendo produtos ou serviços, por mais diferenciados que sejam, dificilmente trará retorno financeiro. Obviamente, contratar espaços no intervalo da novela ou do jornal ainda é uma estratégia muito funcional, mas não são todas as empresas que dispõem de verba para esse tipo de ação. Aliás, são pouquíssimas as que podem e fazem isso. Basta sintonizar a TV hoje e daqui a um ano e você verá que pouca coisa mudou no que diz respeito aos anunciantes.

O universo das pequenas empresas, entretanto, é bem diferente. A verba de marketing geralmente é curta e muitas vezes negligenciada, o que acarreta, geralmente, o insucesso a médio e longo prazo. E em tempos de crise, pode ser fatal. Vamos, por hora, desconsiderar o empresário que acredita que deve cortar todas as suas estratégias de marketing em tempos de crise, e torcer para que as forças do além, as orações ao santo protetor ou uma simpatia bem-feita possam ajudá-lo a sobreviver durante a recessão. O foco deste artigo são os empresários que perceberam que precisam se mexer para evitar o pior e decidiram fazer um investimento em marketing.

Investir em redes sociais é uma estratégia interessante e pode, sim, trazer resultados. Mas, é preciso compreender uma série de coisas antes de se fazer esse investimento:

  • Não é barato!

Conseguir resultados em redes sociais pode custar mais caro do que uma série de outras estratégias para trazer o mesmo resultado. Apesar de ser gratuito criar e gerenciar uma página no Facebook, por exemplo, fazer com que ela realmente gere algum negócio para você demanda dedicação (horas de trabalho custam dinheiro) e investimento em anúncios pagos (sim, você vai gastar dinheiro se quiser ter fãs e se quiser que os seus fãs visualizem suas postagens).

  • Não atinge um número tão expressivos de pessoas

Sim, as mídias tradicionais têm um alcance centenas e até milhares de vezes maior do que uma postagem em sua rede social.  O alcance orgânico de uma postagem no Facebook atinge uma média de 1% dos fãs (https://www.facebook.com/business/news/BR-Alcance-organico-no-Facebook-suas-duvidas-respondidas) da sua página. Isso significa que, se você tiver 10.000 fãs, aproximadamente 100 deles vão ver o que você postou. Isso pode melhorar com a interação dos seus fãs, mas, dificilmente, você terá um alcance próximo da tiragem do jornal do seu bairro.

  • Exige dedicação e conhecimento sobre os mecanismos de funcionamento

Existem profissionais que vivem de gerenciar redes sociais. Essas pessoas estudaram e continuam se atualizando diariamente para entregar um serviço qualificado para seus clientes. Por isso, cobram, aparentemente, caro. Na verdade, cobram um valor justo, o que muitas vezes pode ser caro para um pequeno empresário. Pagar pouco para alguém que faz isso como hobby, certamente é a maneira mais simples de se jogar dinheiro no lixo. Além do mais, esse profissional precisa que você o abasteça com informações regularmente.

  • É de difícil mensurar o retorno

Muitas vezes algo que faz muito sucesso nas redes sociais não reflete esse sucesso nos caixas da empresa. Ter uma rede social poderosa custa caro e pode demorar a dar retorno. Você está preparado para investir e aguardar um prazo, que pode não ser curto, para que você consiga ver seu investimento voltar?

A questão, então, sobre a necessidade de se contratar um profissional para fazer suas redes sociais, é simples. Se você pode investir em um bom profissional ou empresa para fazer isso, e ter paciência para aguardar o retorno, é uma estratégia que deve ser considerada. Se você pensa em pagar barato para alguém postar algumas vezes por semana, desista. Esse é o pior investimento possível, com todas as chances de não resultar em uma venda sequer.

Por outro lado, existe a possibilidade de alocar alguém do seu próprio quadro, ou o próprio empresário, para realizar um trabalho honesto, mas sem ambições, nas redes sociais. Existem dezenas de cursos que podem te ajudar a manter uma fanpage sem muitas pretensões, mas que mantenha seu público atualizado com as suas novidades, mantendo um espaço institucional na rede social que pode ser bem útil para que seu público te encontre.

Conclusão: se você quer bem feito, ou contrate alguém que saiba fazer, investindo realmente na ideia, ou faça você mesmo. Leve sempre em consideração que você não é um gestor de redes sociais e que os objetivos do trabalho de uma agência contratada ou de um profissional são mais ambiciosos do que a autogestão. E, principalmente, acabe com o fetichismo da rede social na sua cabeça. Procure outras alternativas de marketing, conheça outras formas de interação no mundo online e off-line, se atualize. E depois, decida com base em análises, e não no “ouvi dizer que preciso fazer um Facebook”.